"John Broad's Story": The Building of the Canals

ilovepdf_merged (1)_page-0002.jpg

Dorothy Heathcote estava trabalhando em um projeto sobre a construção do sistema de canais. Ela lembrou:

 

Para apresentar o século, o elemento do período, levamos em consideração o genuíno ... John Broad. Ele trabalhou nos canais ...

A história foi escrita à mão, para uso em sala de aula. Esse é um ótimo exemplo de como a informação pode ser “plantada” nos materiais didáticos, para as crianças descobrirem.

É a história da tragédia. É por isso que o Eighth Rise [canal] nunca foi - nunca foi concluído. Se eu apenas ler você:

“John Broad começou sua vida profissional aos oito anos como batedor” -

Portanto, estamos vendo como as pessoas mudam de um emprego para outro. E quando os canais chegaram, ele começou a trabalhar como carroceiro com os canais. Colocamos fotos para não explicar como era em 1834 ...

 

E então nós temos; “No verão de 1835” - e você vê, nós plantamos informações: “a empresa de navegação a vapor”. Temos [uma imagem de] pranchas de madeira para reforçar o local. Eles são todos “chaves” ...

E sabemos: “No oitavo dia de chuva, tendo o engenheiro ordenado que aquela construção, que estava suspensa, recomeçasse ao meio-dia, John Broad atrelou a sua égua Nell” - muita informação - “à carroça com a última carga de escoramento de madeira e começou a longa jornada de Ingstone Bottoms. ”

E então, você vê: “... a sexta elevação, a chuva [havia] lavado o caminho temporário de cascalho” - o caminho temporário de cascalho é parte da construção de um canal; depois, será a trilha que os cavalos percorrem para puxar as barcaças.

Scans_003-010_page-0001.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0003.jpg

Quer dizer, a quantidade de material que põe nessas poucas folhas é enorme, para evitar que a professora fale: “Tá bom” - sabe. …

Agora, você vê, esse tipo de informação forneceria a base absoluta para [uma compreensão da] vida na aldeia. Fala-se do jantar dele, fala-se da comida, fala-se como ela [a esposa] carregava, mas de forma muito breve.

Agora, você vê, você pode dar às crianças um livro como esse e dizer: “Leia essa história, é muito interessante, sobre os canais, e aí você saberá como foram graves os acidentes”.

 

Bem, você vai? Você poderia? É isso que você quer fazer na escola? É uma boa história - quero dizer, bem, é uma história horrível.

Mas o que você quer é: sempre que veem um canal, veem quem pagou. Quando veem monges, eles não apenas riem. Quando veem casas velhas e dizem: “Ah, é o Tudor” - eles têm algumas imagens.

 

Eles são educados.

 

E não podemos educá-los em tudo; mas mesmo um projeto como esse [em John Broad] permite que as crianças percebam que tudo o que você olha, você pode olhar.

 

E eles terão toda a vida para olhar para as coisas.

Mas se eles forem ensinados na escola: “Supere isso rápido. Termine antes que o sino toque. Passe para mim, você vai receber de volta ”- ninguém está aprendendo nada, do tipo de que estamos falando.

Fonte: Série de vídeos “Rolling Role and the National Curriculum” (1993), Tape 4 (University of Newcastle).

ilovepdf_merged (1)_page-0004.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0005.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0006.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0007.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0008.jpg
ilovepdf_merged (1)_page-0009.jpg